Notícias
Notícias
POR QUE SE QUALIFICAR?

POR QUE SE QUALIFICAR?

 

 

Fábio Barletta Gomes

Coordenador da B&O Cursos de Qualificação de Síndicos

 

Apesar da "profissão" de síndico ainda não estar regulamentada, ela existe de fato e é por essa razão, que me permito tirar as aspas antes inseridas e tratar como profissionais todos aquele que exercem a sindicância ou sindicatura (como preferirem) externa. São sim, síndicos profissionais, e como em qualquer ofício, a qualificação é medida que se impõe.

 

A gestão condominial vem ganhando novos contornos diante da complexidade havida em uma coletividade de pessoas, do emaranhado de normas que regulam a matéria e, principalmente, em virtude das responsabilidades que incidem sobre o síndico.

 

Mas, saindo do aspecto legal, você síndico já parou para pensar que quando uma coletividade de pessoas lhe entrega a gestão de seu patrimônio, ela, implicitamente, está lhe dizendo, tome....administre meu patrimônio por mim, e faça o melhor que você puder como seu fosse seu!!

 

Pois é! Administrar um condomínio não é tarefa fácil pois envolve uma gama de atribuições e responsabilidades, que requerem uma habilidade gerencial.

 

E vocês podem se perguntar: é uma profissão em alta no mercado?!  Para responder essa pergunta vou me valer de algumas manchetes retiradas de portais da internet:

 

  1. Caderno de economia do portal R7 – Atividade em alta: síndico profissional pode ganhar até R$ 30 mil por mês
  2. Caderno de economia do portal Uol – Síndico profissional cobra até R$ 7.000 para administrar condomínios
  3. Portal Gabor RH - Sabia que um Síndico Profissional pode ganhar salários acima de R$ 25.000,00?

 

Acredito que a pergunta acima formulada tenha sido respondida a contento! É sim um mercado em ascensão, apesar de ainda estar incipiente. Mas, a medida que o tempo passa, novos profissionais nele se inserem. E o mercado abraça a todos pois, para ser um síndico profissional, não se exige que o postulante a tal cargo tenha essa ou aquela especialização.

 

Mas aqui vem o detalhe:  o fato do mercado ser, assim, tão receptivo, não significa dizer que todos que dele fizerem parte, nele permanecerão. Como em qualquer setor da economia, somente os mais preparados atingirão o ápice, o topo! O mercado é acolhedor num primeiro momento, mas também é exigente! Quer ter sucesso? Se esforce! Quer ser reconhecido? Se qualifique! Quer ter bons retornos? Saia do estado de inércia e supere os desafios!

 

Mas nosso país vive um momento de instabilidade financeira, dinheiro curto, então como fazer?! Economizar! Não tem outra saída! Mas aqui vem o diferencial entre aqueles que apenas reclamam da situação e aqueles que enfrentam os desafios de frente.  Economizar onde? No supérfluo ou no aperfeiçoamento profissional?  A crise é mesmo um empecilho para se investir em qualificação? Ou é apenas uma desculpa que afaga o ego e nos mantem estáticos? Quem nunca ouviu a frase de que a crise gera oportunidades?! E as oportunidades estão aí, batendo na porta de cada um, mas somente aqueles realmente preparados conseguirão transpor esse marco!

 

Portanto, otimize seu tempo, qualifique-se, mantenha-se atualizado, se faça reconhecido pelo mercado, que certamente em um futuro, próximo ou remoto, você colherá os frutos que plantou!

04 / Set / 2018
Fábio Barletta Gomes

Comente esta publicação